Nosso Blog

Conheça 3 problemas de visão que são muito comuns no inverno e como preveni-las

O inverno, além de ser a época do ano com temperaturas mais baixas, também é um período marcado pelo clima seco e baixa umidade. Essas características acabam fazendo com que as pessoas fiquem mais expostas aos agentes causadores de três dos problemas de visão mais comuns durante essa estação. 

Por isso, é fundamental estar atento para evitar que essas doenças acabem comprometendo o bem-estar no dia a dia ao longo desses três meses. No texto de hoje vou mostrar três problemas de visão que são muito comuns no inverno e cuidados que podem ser tomados para evitá-los.

1. Conjuntivite

Com certeza você já ouviu falar muito sobre conjuntivite, não é mesmo? Afinal, esse é um dos problemas mais comuns de visão que podem surgir durante o inverno. Mas por que isso acontece? Geralmente devido a uma combinação de fatores que são típicos dessa época do ano, como clima seco, permanência em locais fechados e maior incidência de doenças respiratórias.

A conjuntivite é uma inflamação que atinge a conjuntiva, membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra. Ao se manifestar, ela costuma causar uma série de incômodos nos pacientes, como vermelhidão, coceira, sensação de areia nos olhos, lacrimejamento e pálpebras inchadas.

Mas você sabia que não existe apenas um tipo de conjuntivite? A origem do problema pode ser, mais comumente, de ordem alérgica, química, viral ou bacteriana, sendo as duas últimas altamente contagiosas. Portanto, é essencial procurar o consultório médico assim que os primeiros sintomas surgirem para que o oftalmologista possa identificar a causa da doença e indicar o tratamento mais adequado.

Por fim, nunca é demais reforçar que a automedicação, principalmente com colírios que você já tenha em casa, pode acabar agravando o problema. Logo, busque evitar essa prática e procure um especialista sempre que for necessário.

2. Síndrome do Olho Seco

A Síndrome do Olho Seco é uma disfunção caracterizada pela diminuição da quantidade ou alteração da qualidade das lágrimas produzidas pelas glândulas lacrimais. Em decorrência disso, é comum que a lubrificação dos olhos fique comprometida e o paciente acaba enfrentando alguns incômodos no dia a dia, como ressecamento ocular, ardência e embaçamento da visão.

O problema pode ocorrer com maior frequência no inverno devido a baixa umidade do ar, baixa incidência de chuvas e maior quantidade de partículas em suspensão no ar, como poeira. Se associado a esses fatores, você costuma passar muitas horas diante de telas eletrônicos, como computador e celular, essa situação pode ser agravada. Por isso, é muito importante estar atento a essas questões e procurar ajuda médica, caso perceba sinais que possam indicar o aparecimento da Síndrome do Olho Seco, para ter acesso ao tratamento correto. A síndrome do Olho Seco pode ser causada por doenças (geralmente autoimunes), alterações hormonais (comuns na gestação e menopausa).

3. Alergias oculares

Assim como acontece com a conjutivite e a Síndrome do Olho Seco, as alergias oculares também são mais comuns no inverno. E isso acontece devido às características do clima, condições ambientais (poluição e queimadas) e o fato dos ambientes permanecerem mais fechados, sem tanta ventilação natural e favorável ao acúmulo de ácaros. Todos esses fatores podem acabar levando a uma maior ocorrência de quadros de alergias nos olhos, principalmente se você já possui histórico de problemas alérgicos, como rinite e asma.

Entre os sintomas que caracterizam esse problema estão: coceira e vermelhidão nos olhos, ardência, fotofobia e irritação. Diante deles, o mais indicado é procurar o oftalmologista para que ele possa fazer o diagnóstico e prescrever os medicamentos mais adequados, como os colírios antialérgicos

Cuidados para evitar o surgimento dos problemas de visão mais comuns do inverno

Para se prevenir contra o surgimento desses problemas, que são mais comuns no tempo frio e seco, é muito importante seguir algumas recomendações. Confira as principais a seguir:

  • Evitar o acúmulo de poeira dentro de casa;
  • Umidificar o quarto e deixá-lo o mais arejado possível ao longo do dia;
  • Lavar com frequência o rosto e as mãos;
  • Evitar o compartilhamento de objetos de uso pessoal;
  • Lavar e secar ao sol cobertores, edredons e blusas de lã que ficaram guardadas por muito tempo no armário;
  • Ficar atento com a limpeza de cortinas, carpetes, tapetes, bichos de pelúcia, entre outros itens que possam acumular poeira; 
  • Manter o filtro do ar-condicionado sempre limpo;
  • Ter muito cuidado com o manuseio e manutenção das lentes de contato;
  • Evitar o uso prolongado do celular, tablet, entre outros dispositivos eletrônicos.

E lembre-se: diante de qualquer sintoma ou incômodo na visão, procure o oftalmologista e evite o agravamento de problemas que podem ser facilmente tratados.

Tem alguma dúvida sobre o tema de hoje? Deixe o  seu comentário e vamos conversar!

Drª Paula Borges Carrijo
Oftalmologista
CRM 53336 | RQE 41855

Compartilhe:
Abra o Chat
Olá, como podemos ajudar?