Nosso Blog

Consulta ao oftalmologista pediátrico: como preparar seu filho e qual frequência recomendada

Apesar de não ser um assunto tão falado, o diagnóstico precoce de doenças que afetam a visão na primeira infância é, sem dúvidas, a melhor forma de evitar que esses problemas comprometam o desenvolvimento das crianças. Para isso, o acompanhamento regular com o oftalmologista pediátrico é recomendado a partir dos primeiros meses de vida do bebê.

Além da frequência, é necessário ter em mente que, dependendo do temperamento da criança e do humor dela no dia, será necessário voltar outras vezes para finalizar os testes. Para evitar que isso ocorra, algumas “táticas” podem ser aplicadas pelos pais ao prepararem a criança para a consulta em si.

Como preparar as crianças para as consultas com o oftalmologista pediátrico?

O primeiro passo dessa preparação é escolher oftalmologista pediátrico (ou oftalmopediatra), pois ele com certeza estará mais preparado para conduzir a consulta de uma forma mais dinâmica, mais humana e mais paciente. Crianças são imprevisíveis, mas a especialização e a experiência do profissional fazem toda diferença.

Depois disso, o primeiro passo é fazer o agendamento da consulta para um horário que normalmente a criança costuma estar acordada e descansada. Isso é importante para garantir que ela não chegue irritada ao consultório e que o momento do encontro com o médico não seja traumatizante para ela. Além disso, é importante que elas estejam bem alimentadas, afinal fome também é um fator que acaba desencadeando estresse nos pequenos.

Para as crianças com um pouco mais de idade e que possuem melhor compreensão dos fatos, outra dica é conversar e explicar para elas como vai funcionar essa consulta com o oftalmologista pediátrico. Claro que essa explicação deve ser a mais lúdica possível: que o médico vai perguntar quais letras e números ela consegue ver e pingar gotinhas nos olhos para descobrir se tem algum dodói nos olhos dela. Com certeza ela chegará muito mais tranquila e segura ao consultório.

Por fim, mostre aos pequenos desenhos e conte histórias que retratem a ida de crianças ao oftalmologista. Essa é uma técnica que pode gerar identificação e fazer com que elas entendam melhor como funciona essa visita ao médico. O episódio “O exame de vista”, do desenho Peppa Pig, e “Caillou e o exame oftalmológico” são algumas sugestões disponíveis no Youtube e que podem ajudar nessa preparação para a consulta.

Quanto à frequência, cada faixa etária tem uma recomendação diferente. Confira a seguir.

Recém-nascidos

O teste do reflexo vermelho (TRV), mais conhecido como teste do olhinho, é o primeiro exame clínico de visão que deve ser realizado nos recém-nascidos. Nele, o médico observa o reflexo da luz emitida por uma lanterninha no fundo do olho do bebê. Se houver qualquer tipo de alteração na estrutura ocular, esse reflexo ganhar uma cor diferente e pode não ser igual entre os dois globos oculares.

Geralmente realizado pelo pediatra antes da alta na maternidade, esse teste é extremamente importante para o diagnóstico precoce de doenças, como catarata congênita e retinoblastoma. Apesar de ainda não ser uma prática muito comum, recomenda-se que os pais levem seus bebês ao oftalmologista pediátrico regularmente para acompanhar como está o desenvolvimento da visão.

De 0 a 2 anos

De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, para as crianças que nasceram no tempo normal de gestação e não apresentaram nenhum indício de problemas de visão, é indicado uma visita a cada seis meses ao oftalmopediatra. Nessas visitas, exames como o de acuidade visual também passam a fazer parte da rotina de cuidados com a saúde dos olhos.

E os pais podem ficar tranquilos, pois essas avaliações não são invasivas. Para se ter uma ideia, uma forma muito comum de avaliar a acuidade visual até dois anos de idade se dá através do teste de fixação do olhar. Nele, o oftalmologista pediátrico pega um determinado objeto, mostra para os pequenos e avalia se eles são capazes de fixar e seguir com os dois olhos esse determinado item a medida que ele se move.

De 2 até 7 anos

Seguindo a mesma recomendação da Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica, a partir dos dois anos de idade o ideal é levar as crianças uma vez ao ano para ser avaliado por um oftalmopediatra.

Normalmente, nessas consultas periódicas é feito um check-up completo a fim de diagnosticar qualquer possível alteração na visão. Esse acompanhamento é muito importante porque o desenvolvimento visual completo termina apenas aos sete anos de idade, portanto qualquer problema encontrado ao longo desse processo poderá ser tratado de forma precoce, reduzindo as chances de possíveis sequelas.

O teste mais comum de ser feito nessa faixa etária é o exame de refração. Nele, gotas de um colírio próprio para dilatação da pupila são colocadas nos olhos da criança para que o médico consiga avaliar, por meio de um aparelho chamado retinoscópio, se há algum tipo de reflexo luminoso nas pupilas.

Seja qual for a idade do seu filho(a), não se esqueça: a prevenção é sempre o melhor caminho. Não deixe de criar e manter essa rotina de cuidado com a saúde dos olhos das crianças, ela pode ser fundamental para o crescimento e qualidade de vida delas no futuro.

Dr. Rodrigo Fernandes
Oftalmologista
CRM 65641 | RQE 33003

Compartilhe:

Tudo sobre Glaucoma e Maio Verde

Glaucoma. Não adianta fechar os olhos! De acordo com a Organização Mundial de Saúde, OMS, em 2040 o glaucoma afetará cerca de 111,5 milhões de

Abra o Chat
Olá, como podemos ajudar?