Nosso Blog

Câncer ocular: conheça os tipos mais comuns na infância e na fase adulta

Às vezes nos deparamos com um provável diagnóstico de câncer nos olhos. Invariavelmente, tanto o paciente quanto o médico têm dificuldade em aceitar esse diagnóstico. Buscamos outras possíveis causas, investigamos todas as outras possibilidades e pedimos a Deus que o diagnóstico esteja errado. Mas, nem sempre tem jeito: o diagnóstico é firmado. O jeito, então, é encarar o dito cujo e iniciar seu tratamento o quanto antes.

Cânceres em fases iniciais tendem a ter melhor prognóstico e tratamentos menos agressivos do que aqueles em fases mais avançadas. Claro que isso depende muito do tipo de câncer apresentado também. Na oftalmologia, a oncologia não é diferente. Apesar de mais raros, os cânceres comportam-se tais como os outros do corpo: iniciam-se assintomáticos e pequenos, evoluem para lesões dolorosas, grandes e que podem levar à cegueira e até à morte. Por isso, o exame de rotina é essencial para o diagnóstico precoce e tratamento menos agressivo.

Câncer infantil
O câncer ocular mais comum na infância é o Retinoblastoma, cuja apresentação acontece geralmente até os 5 anos de vida, mais comumente nos primeiros 2 anos. Quando a lesão já está avançada, a criança apresenta ausência do reflexo vermelho (pupila branca nas fotos), estrabismo, conjuntivite, dor, inchaço, perda visão, dentre outros sintomas. O tratamento varia muito, conforme extensão do tumor. Pode ser sessão a laser até enucleação (retirada do olho) com quimioterapia. Como podem ver, é muito grave e pode haver metástase e óbito.

Câncer na fase adulta
O câncer nos olhos mais comum nos adultos é o melanoma da úvea (uma parte do olho), ou melanoma ocular. Mais uma vez, na maioria dos casos não há sintomas no início. Geralmente aparece por volta dos 50 a 60 anos de idade e é diagnosticado quase sempre em fases avançadas, quando os sintomas aparecem. Os sintomas mais comuns são perda ou manchas no campo de visão, manchas na íris, estrabismos, abaulamento dos olhos e distúrbio da movimentação dos olhos.

O tratamento e prognóstico também dependem do tamanho do tumor e vão desde pequenas cirurgias até quimioterapia e enucleação. As metástases são frequentes e o óbito chega a 25% dos casos.

Prevenção
O assunto é delicado, mas o meu intuito não é assustar vocês. O objetivo é lembrar da importância dos exames de rotina para o diagnóstico precoce desses tumores e menor impacto na qualidade visual e de vida. Além disso, usar um bom óculos de sol, ter uma alimentação saudável e praticar atividade física continuam sendo nossos grandes amigos na luta contra o câncer.

Dr. Rodrigo Fernandes
Oftalmologista
CRM 65641 | RQE 33003

Compartilhe:
Abra o Chat
Olá, como podemos ajudar?